Farida, um Conto Sírio

De 12 de abril à 28 de maio de 2017

SÉRIE REFUGIADOS, DE MAURICIO LIMA É DESTAQUE NO MAIO FOTOGRAFIA

Este ano, a mostra Maio Fotografia no MIS 2017, em cartaz de 13 de abril a 28 de maio, serão tomados por obras de artistas singulares e fundamentais na história da fotografia.

 Uma das exposições é Farida, um Conto Sírio, de autoria de Mauricio Lima, representado no Brasil pela DOC Galeria, que ganhou o Prêmio Pulitzer em 2016 com o ensaio da migração de refugiados do Oriente Médio rumo à Europa. Mauricio Lima é o primeiro brasileiro a receber este importante reconhecimento administrado pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque, que ano passado completou 100 anos e é outorgado a pessoas que realizam trabalhos de excelência nas áreas da literatura, composição musical, jornalismo e fotografia.

O título da mostra, Farida, que conta com curadoria da alemã Elisabeth Biondi, alude ao nome do bebê que nasceu em Karlstad, interior da Suécia, após todas as dificuldades físicas e emocionais que seus pais ─ que representam os mais de cinco milhões de refugiados sírios ─ foram obrigados a enfrentar por mais de 50 dias durante a travessia, ocasionada pela guerra em seu país. Com esse trabalho, Mauricio Lima se tornou o único cidadão brasileiro a receber o Prêmio Pulitzer. 



Desde a invasão norte-americana do Iraque, em 2003, Mauricio Lima vem documentando o êxodo e as consequências de povos afetados por conflitos. Em 2015, ele passou 38 dias entre o norte da Síria e o Iraque, depois visitou as principais fronteiras que os refugiados usam para fugir: Turquia, Grécia, Bulgária, Macedônia, Sérvia, Croácia e Hungria; e os destinos ou rotas: Áustria, Alemanha, Suécia e Noruega. Passou seis meses nesses locais. 

Enquanto documentava a saga dos refugiados, Mauricio percebeu que devia humanizar o acontecimento catastrófico e se conectou com a família Majid, que dormia em uma barraca em uma praça de Belgrado, na Sérvia. Durante 29 dias, o fotógrafo compartilhou da vida deles, os perigos e as dificuldades para ir da Sérvia à Suécia. “Com suas imagens, Mauricio Lima dá a nós, espectadores, a oportunidade de compartilhar visual e intimamente os altos e baixos da viagem da família em busca de asilo”, diz a curadora Elisabeth Biondi. 

A exposição, que apresenta 33 imagens, é co-realizada pelo MIS e pela DOC Galeria|Escritório de Fotografia.


Período: de 12 de abril à 28 de maio de 2017
Visitação: de terça a sexta das 14h às 17h e sábado das 12h às 17h. 
Endereço: Av. Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo, SP. 
Informações: contato@docgaleria.com.br | 55 [11] 25927922

SÉRIE REFUGIADOS, DE MAURICIO LIMA, DA DOC GALERIA NO MAIO FOTOGRAFIA

Este ano, a mostra Maio Fotografia no MIS 2017, em cartaz de 13 de abril a 28 de maio, serão tomados por obras de artistas singulares e fundamentais na história da fotografia.

 Uma das exposições é Farida, um Conto Sírio, de autoria de Mauricio Lima, representado no Brasil pela DOC Galeria, que ganhou o Prêmio Pulitzer em 2016 com o ensaio da migração de refugiados do Oriente Médio rumo à Europa. Mauricio Lima é o primeiro brasileiro a receber este importante reconhecimento administrado pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque, que ano passado completou 100 anos e é outorgado a pessoas que realizam trabalhos de excelência nas áreas da literatura, composição musical, jornalismo e fotografia.

O título da mostra, Farida, que conta com curadoria da alemã Elisabeth Biondi, alude ao nome do bebê que nasceu em Karlstad, interior da Suécia, após todas as dificuldades físicas e emocionais que seus pais ─ que representam os mais de cinco milhões de refugiados sírios ─ foram obrigados a enfrentar por mais de 50 dias durante a travessia, ocasionada pela guerra em seu país. Com esse trabalho, Mauricio Lima se tornou o único cidadão brasileiro a receber o Prêmio Pulitzer. 



Desde a invasão norte-americana do Iraque, em 2003, Mauricio Lima vem documentando o êxodo e as consequências de povos afetados por conflitos. Em 2015, ele passou 38 dias entre o norte da Síria e o Iraque, depois visitou as principais fronteiras que os refugiados usam para fugir: Turquia, Grécia, Bulgária, Macedônia, Sérvia, Croácia e Hungria; e os destinos ou rotas: Áustria, Alemanha, Suécia e Noruega. Passou seis meses nesses locais. 

Enquanto documentava a saga dos refugiados, Mauricio percebeu que devia humanizar o acontecimento catastrófico e se conectou com a família Majid, que dormia em uma barraca em uma praça de Belgrado, na Sérvia. Durante 29 dias, o fotógrafo compartilhou da vida deles, os perigos e as dificuldades para ir da Sérvia à Suécia. “Com suas imagens, Mauricio Lima dá a nós, espectadores, a oportunidade de compartilhar visual e intimamente os altos e baixos da viagem da família em busca de asilo”, diz a curadora Elisabeth Biondi. 

A exposição, que apresenta 33 imagens, é co-realizada pelo MIS e pela DOC Galeria|Escritório de Fotografia.


Período: de 12 de abril à 28 de maio de 2017
Visitação: de terça a sexta das 14h às 17h e sábado das 12h às 17h. 
Endereço: Av. Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo, SP. 
Informações: contato@docgaleria.com.br | 55 [11] 25927922

 

 

 

 

 


Arquivo Archive