Em cartaz Current

Linha D’Água

De 11 de abril a 11 de maio de 2018

José Diniz apresenta na DOC, a partir do dia 10 de abril, séries em que a paisagem marinha é vista a partir da linha d’água, característica principal do seu trabalho, além de elementos bélicos que traça um verdadeiro memorial de guerra registrado num caderno de notas.

 

Diniz nasceu em Niterói (RJ), em 1954, e atualmente vive no Rio de Janeiro. Sua ligação com o mar, uma paixão declarada, vem da infância. Desde criança vive com os pés no mar.

 

Quase sempre imerso, o autor entrega-se guiado pelas sensações e pela natureza. As fotografias capturadas dentro d’água tem o objetivo de passar diversas sensações como a ausência de equilíbrio, a vertigem, a tensão, a harmonia, o movimento contínuo, o som do mar e o sabor do sal. Para fotografar dentro do mar não basta apenas a visão. É necessário todo o corpo, usando todos os cinco sentidos. A máquina fotográfica está num ponto abaixo do horizonte e as ondas são montanhas em movimento. Os faróis, as embarcações, as mulheres, os homens e o que aparecer em seu horizonte são protagonistas desse universo. Pequenos objetos podem se transformar em grandes elementos no cenário construído por José Diniz. “Entre o real e as fábulas, o mar é a sua terra”, conclui Mônica Maia, sócia da galeria.

 

Grande parte do seu trabalho é executado buscando passar a experiência física de movimento, imersão e de instabilidade, possibilitando reproduzir as sensações e a ideia da paisagem pura em contraponto com o poder da relação homem-natureza.

 

Na exposição, 50 fotografias irão mostrar parte de 7 séries que o autor vem desenvolvendo nos últimos anos: Periscope, Batalha Naval, Série Negra (submarinos), Travessias, Maresia, Ultramarinhas e Periscópicas.

“Estranhamento. É com esse sentimento  que observamos as fotografias de José Diniz. Paira um mistério de sonho nas formas circulares e quadradas; símbolos aparecem inadvertidamente impressos, como se não  tivessem passado pelas lentes do fotógrafo.”, relata a curadora Marcia Mello.

A relação com as artes visuais começou desde criança. Seu pai era artista plástico e professor universitário de geometria. Ele o incentivou a frequentar por 4 anos a escola de pintura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro tendo como professor o artista Ivan Serpa, um dos principais atuantes do movimento concretista brasileiro. Seu avô foi um dos fundadores da Associação Fluminense de Fotografia, uma das mais antigas do Brasil. José Diniz viveu e cresceu entre o mar e os artistas.

 

Suas fotografias integram importantes coleções públicas e privadas com destaque para o Museum of Fine Art Houston, a Coleção Joaquim Paiva/MAM-Rio, o Museu de Arte do Rio-MAR e o   Green Library/Stanford University. O trabalho “Mar” de Diniz foi apresentado em diversos países com destaque para as exposições individuais exibidas nos Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Portugal e Rússia. José Diniz confecciona livros de artista, feitos a mão com tiragens limitadas, um pesquisa sobre suportes que acompanha seu fazer fotográfico do autor. Seu livro “Periscope”, quase esgotado, foi lançado pelas editoras Madalena e Terceiro Nome em 2014. Aos 63 anos José Diniz continua com uma intensa produção fotográfica.

 

// Serviço
Exposição: Linha D’Água
Fotografias: José Diniz
Curadoria: Marcia Mello
Inauguração: 10 de abril, 19h
Período: De 11 de abril a 11 de maio
Visitação: De terça a sexta das 14h às 19h, sábado das 12h às 17h
Local: DOC Galeria
Endereço: Rua Aspicuelta, 145, Vila Madalena, SP
Contato: contato@docgaleria.com.br
Telefone: 11 2492-7922, 11 99614-2813

José Diniz apresenta na DOC, a partir do dia 10 de abril, séries em que a paisagem marinha é vista a partir da linha d’água, característica principal do seu trabalho, além de elementos bélicos que traça um verdadeiro memorial de guerra registrado num caderno de notas.

 

Diniz nasceu em Niterói (RJ), em 1954, e atualmente vive no Rio de Janeiro. Sua ligação com o mar, uma paixão declarada, vem da infância. Desde criança vive com os pés no mar.

 

Quase sempre imerso, o autor entrega-se guiado pelas sensações e pela natureza. As fotografias capturadas dentro d’água tem o objetivo de passar diversas sensações como a ausência de equilíbrio, a vertigem, a tensão, a harmonia, o movimento contínuo, o som do mar e o sabor do sal. Para fotografar dentro do mar não basta apenas a visão. É necessário todo o corpo, usando todos os cinco sentidos. A máquina fotográfica está num ponto abaixo do horizonte e as ondas são montanhas em movimento. Os faróis, as embarcações, as mulheres, os homens e o que aparecer em seu horizonte são protagonistas desse universo. Pequenos objetos podem se transformar em grandes elementos no cenário construído por José Diniz. “Entre o real e as fábulas, o mar é a sua terra”, conclui Mônica Maia, sócia da galeria.

 

Grande parte do seu trabalho é executado buscando passar a experiência física de movimento, imersão e de instabilidade, possibilitando reproduzir as sensações e a ideia da paisagem pura em contraponto com o poder da relação homem-natureza.

 

Na exposição, 50 fotografias irão mostrar parte de 7 séries que o autor vem desenvolvendo nos últimos anos: Periscope, Batalha Naval, Série Negra (submarinos), Travessias, Maresia, Ultramarinhas e Periscópicas.

“Estranhamento. É com esse sentimento  que observamos as fotografias de José Diniz. Paira um mistério de sonho nas formas circulares e quadradas; símbolos aparecem inadvertidamente impressos, como se não  tivessem passado pelas lentes do fotógrafo.”, relata a curadora Marcia Mello.

A relação com as artes visuais começou desde criança. Seu pai era artista plástico e professor universitário de geometria. Ele o incentivou a frequentar por 4 anos a escola de pintura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro tendo como professor o artista Ivan Serpa, um dos principais atuantes do movimento concretista brasileiro. Seu avô foi um dos fundadores da Associação Fluminense de Fotografia, uma das mais antigas do Brasil. José Diniz viveu e cresceu entre o mar e os artistas.

Suas fotografias integram importantes coleções públicas e privadas com destaque para o Museum of Fine Art Houston, a Coleção Joaquim Paiva/MAM-Rio, o Museu de Arte do Rio-MAR e o   Green Library/Stanford University. O trabalho “Mar” de Diniz foi apresentado em diversos países com destaque para as exposições individuais exibidas nos Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Portugal e Rússia. José Diniz confecciona livros de artista, feitos a mão com tiragens limitadas, um pesquisa sobre suportes que acompanha seu fazer fotográfico do autor. Seu livro “Periscope”, quase esgotado, foi lançado pelas editoras Madalena e Terceiro Nome em 2014. Aos 63 anos José Diniz continua com uma intensa produção fotográfica.

 

// Serviço

Exposição: Linha D’Água
Fotografias: José Diniz
Curadoria: Marcia Mello
Inauguração: 10 de abril, 19h
Período: De 11 de abril a 11 de maio
Visitação: De terça a sexta das 14h às 19h, sábado das 12h às 17h
Local: DOC Galeria
Endereço: Rua Aspicuelta, 145, Vila Madalena, SP
Contato: contato@docgaleria.com.br
Telefone: 11 2492-7922, 11 99614-2813